OPINIÃO

Religião versus Religião

Resumindo, Maria nos conta estava participando de uma igreja e que discordou de um dos dogmas da doutrina religiosa. Dentre outras coisas…

NOSSA ANALISE

Pregam os homens das igrejas que Deus é nosso Pai, sendo assim, Pai de todos, mas muitos deles usam do nome do Pai para levantar uma muralha de exclusividade religiosa sectária. Quem comigo não ajunta espalha…

Pregam também que Jesus era compassivo, amoroso, misericordioso, mas ao mesmo tempo julgam, condenam e expulsam os irmãos que não professam a mesma opinião religiosa sobre os assuntos doutrinários (dogmas religiosos) que eles.

Dizem que a caridade é a maior virtude, porque nos vincula a perfeição de Cristo, mas pregam o vencer a qualquer custo, e ao mesmo tempo desdenham e se afastam daqueles que são caridosos, mas não estão dentro da mesma consecução religiosa ritualística que eles.

Se lembram de que devem “examinar tudo e abraçar o que for bom” (1 Tessalonicenses 5:21), segundo a norma de Jesus, mas chamam de heréticos e apostatas a todos aqueles que buscam o conhecimento e fogem do ritualismo imposto pelos dogmas tabelados em suas igrejas particularistas.

Jesus prometeu-nos no porvir, um consolador que nos esclarecesse acerca das verdades anunciadas por ele e não compreendidas pelas mentes daquele tempo, mas os religiosos não creem na progressividade dos conhecimentos sobre as palavras de Jesus, criando dogmas que tencionam prender o crente nas barras das saias religiosas do templo a que servem e criando rituais, muitas vezes impossíveis de serem seguidos a risca e criando dores nas mentes passivas dos incautos.

Religiosos ensinam que que o evangelho é patrimônio da humanidade, dirigido a todos, sem exceção. Mas, no entanto, não aceitam que qualquer um possa falar de Cristo e pregar sua palavra, fora do púlpito e de forma diferente da que eles enxergam como verdade.

Sabe-se que “cada um será premiado segundo suas obras” (romanos 2:6), mas alguns subvertem essa máxima, pregando que o homem será salvo somente pela fé. Insistem nesta afirmativa, embora Tiago afirme que o homem será justificado pelas obras (Tiago 2:24). Obras!

Se o coração é a morada do espirito de Deus, porque alguns religiosos excluem de seus corações aqueles que não professam a mesma doutrina que eles?

Lembrando que a verdadeira religião não é a que pratica fórmulas vazias e dogmáticas, mas a que pratica o bem e que desconhece as fronteiras, não se limitando apenas ao seu púlpito religioso. Que pratica a caridade, porque Deus é caridade, que reconhece a santidade de algumas vidas santas independentes de qual religião professaram em sua existência humana.

Infelizmente, as religiões são exclusivistas, todas querendo o céu para si e excluindo o próximo de obtê-lo caso esteja fora de seus braços dominantes. A cizânia vigora em cada organização, cada qual defendendo seu céu privado revestido de garantias bíblicas particulares.

Fico me perguntando, se Jesus voltasse agora, o que ele faria com tanta religião dizendo que o representa, mas sem o mínimo de dignidade relativa as suas obras verdadeiras: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo com ao ti mesmo.

Deus te abençoe e continue na luz!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s