HISTÓRIAS

REINAUGURANDO A VIDA

Hoje é dia de festa de inauguração! Roupas lindas, cabelos arrumados com esmero. Perfume especial. Calçado novo e lustroso. Tudo muito maravilhoso. É dia de festa e, por isso todos celebram alegres.
Cada detalhe foi cuidadosamente arranjado. Tudo combinando com tudo. Até você combina com a descrição de perfeição. A música ambiente é realmente ambiente. O tira-gosto deixa um delicioso sabor na boca. A bebida gelada estala na língua. Os assentos estofados são confortáveis. A mesa oferece iguarias que apetecem ao paladar mais exigente. Nada sai errado, porque tudo foi configurado com antecedência e muito capricho.
Cada rosto, um sorriso. Cada sorriso, um belo olhar. Cada olhar, uma aprovação. Cada aprovação, um brinde. Tudo atrai. Tudo impressiona. Tudo enobrece a vaidade do anfitrião.
Altas horas. A festa acaba. Dia seguinte. Mesmo local. Resquícios da festa. Copos espalhados. Flores murchas. Ausência total dos encantos do dia anterior.
O anfitrião outrora alegre e festivo olha cansado para todos os lados. Um dano aqui. Um vaso quebrado ali. Um tapete vomitado acolá. A cortina de renda importada manchada e furada de cigarro. Que canseira. Que desanimo.
A vida volta ao normal. Inalterada. As flores de sempre. O café de todo dia. O tempo ameno da estação. A vida assume seu rumo de normalidade egocêntrica.
É isso então, a vida sempre volta ao normal. Felizes ou infelizes. Chuva ou sol. Ruim ou bom. A normalidade sucede invariavelmente a tudo. Quebra a monotonia, mas ela tem um que de perseverança que a faz voltar rapidamente ao lugar dela. Sai da rotina e ela constantemente retorna ao destaque dos dias.
E nós? Desapercebemos que a beleza está no lugar de sempre, junto à rotina e a monotonia dos dias. A grandeza reside nas pequenas coisas que perdemos todo dia, na inobservância das não alterações cotidianas. Perdemos as coisas imutáveis e tentamos segurar as mutáveis, por obra de nosso egocêntrico ser.
Pela manhã, quando tudo lhe parecer resultado de uma orgia anterior, reveja seus conceitos e mãos a obra. Tanto quanto a cortina de renda, você talvez precise sair de seu casulo de acomodação, porque este não é o seu ambiente normal. As manchas aparecem quando estamos muito tempo no mesmo lugar. Emboloramos. A mecanicidade do dia-a-dia nos deixa embotados.
Não dá para ser festa dia sim e o outro também. Mas não podemos deixar de ver o que acontece ao osso redor. Todos os dias inaugure sua casa particular. Você. Hoje é dia de festa no meu coração. Invente algo diferente.
Amigos. Irmãos. Colegas. Parentes por afinidade. Quantos querem e merecem ser lembrados? Faça a diferença. Flores. Bombons. Abraços. Telefonemas. Uma cartinha. Um e-mail. Coisas simples. Singelas. Masque revigoram o entrelaçamento fraternal diário.
Tem dia para tudo nesse país. Aproveite-se disso. Porque não cria o dia de ser você mesmo? Escreva para você e diga tudo que pensa a seu respeito sem refletir enquanto escreve. Depois envie e leia novamente, analisando porque escreveu isto ou aquilo. Vai ver que você tem problemas que nem sabia e soluções que nem imaginava.
Vamos! Desafie-se! Deu um novo sentido e rumo ao seu propósito de vida. Desculpe-se a você mesmo. Resumindo: dê um novo objetivo a sua vida. Tudo muda o tempo todo. Reinaugure-se quantas vezes for necessário para atingir o patamar de paz e serenidade que você precisa para chegar ao plano superior sem muitas dívidas.
Reavalie-se. Reveja os seus conceitos. Recomece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s